Ministério da Economia barra discussões de até 60 salários mínimos no Carf

9/10/2020 em Imprensa

Nosso sócio Leandro Cabral e Silva falou ao Valor Econômico e ao JOTA sobre a Portaria nª 340 do Ministério da Economia, segundo a qual processos administrativos tributários de até 60 salários mínimos não poderão mais ser levados ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A partir de 3 de novembro, cobranças com esse valor só poderão ser questionadas nas Delegacias Regionais de Julgamentos (DRJs). Foi criada uma câmara recursal para que o contribuinte possa recorrer na própria DRJ, que terá que seguir a jurisprudência do Carf.

“A mudança beneficia o fluxo do Carf, mas impacta a ampla defesa do contribuinte”, avaliou Leandro Cabral e Silva.

Leia aqui as matérias:

Valor Econômico: https://lnkd.in/daRdt7Y

Jota: https://lnkd.in/dZ3hSbC

Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

Advocacia Geral da União abranda os acordos a partir de fevereiro de 2022 para parcelamento de dívidas

No 5º dia do mês de janeiro do ano corrente, a Advocacia Geral da União, a “AGU”, promulgou a Portaria…

24 de janeiro de 2022 em Artigos

Leia mais >

Setor de seguros espera derrubar cobranças de PIS/Cofins no Carf

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, nosso sócio Leandro Cabral e Silva falou sobre a possibilidade de virada de jurisprudência…

21 de janeiro de 2022 em Imprensa

Leia mais >