Velloza Ata de Julgamento

22/10/2019 em Velloza Ata de Julgamento

REsp nº 1428247/RS – COQUEIROS SUPERMERCADOS LTDA X FAZENDA NACIONAL – Relator: Min. Gurgel de Faria
Tese: Contribuinte faz jus aos créditos de PIS e COFINS sobre o valor pago, na etapa anterior, a título de ICMS – Substituição Tributária (ICMS-ST)

No dia 15/10 a 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça entendeu que o contribuinte faz jus aos créditos da contribuição do PIS e da COFINS sobre o valor pago, na etapa anterior, a título de ICMS – Substituição Tributária, fixando a tese de que: i) independem da incidência de tais contribuições sobre o montante do ICMS-ST recolhido pelo substituto na etapa anterior ; e ii) o valor do imposto estadual antecipado caracteriza custo de aquisição.
O Ministro Benedito Gonçalves, que havia solicitado vista na sessão anterior, proferiu voto acompanhando integralmente a divergência inaugurada pela Min. Regina Helena, entendendo que o direito ao creditamento independe da ocorrência de tributação na etapa anterior e não está vinculado à eventual incidência da contribuição ao PIS e da COFINS sobre a parcela correspondente ao ICMS-ST na operação de venda do substituto ao substituído. Isso porque, sendo fato gerador da substituição tributária, o direito ao crédito do substituído decorre, a rigor, da repercussão econômica do ônus gerado pelo recolhimento antecipado do imposto estadual atribuído ao substituto, compondo, deste modo, o custo de aquisição da mercadoria adquirida pelo revendedor.
Embora o Ministro Sérgio Kukina tenha acompanhado o voto do Relator para negar provimento ao recurso especial do contribuinte, a maioria formada na Turma foi no sentido de acolher a tese favorável ao contribuinte. Vencidos os Ministros Gurgel de Faria e Sérgio Kukina.
Assim, prevaleceu o argumento de que, embora as leis n. 10.637/2002 e 10.833/2003 vedassem a utilização de créditos de contribuição ao PIS e COFINS sobre valores de aquisição de bens ou serviços, inclusive no caso de isenção, quando revendidos ou utilizados como insumo em produtos ou serviços sujeitos à alíquota zero, isentos ou não alcançados pela contribuição, a disposição do art. 17 da Lei 11.33/2004, a qual assegura a manutenção dos créditos existentes de contribuição ao PIS e a COFINS, ainda que as vendas e revendas não tenham sido oneradas pela incidência dessas contribuições no sistema monofásico, é extensível às pessoas jurídicas não vinculadas ao REPORTO, por ter ocorrido a revogação tácita do art. 3º, §2º de ambas as leis.

­

­

VELLOZA ATA DE JULGAMENTO É UM INFORMATIVO DE JURISPRUDÊNCIA QUE SELECIONA CASOS RELEVANTES EM PAUTA NOS TRIBUNAIS, CONFORME INFORMAÇÕES PUBLICADAS PELAS PRÓPRIAS CORTES. AS INFORMAÇÕES SÃO PÚBLICAS E PODEM OU NÃO SE REFERIR A PROCESSOS PATROCINADOS PELO VELLOZA ADVOGADOS.
ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).
Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News China Desk

Brazilian provisional measures amidst the economic crises caused by CORONAVIRUS PANDEMIC To curb the consequences in the midst of one…

31 de março de 2020 em News China Desk

Leia mais >

News Societário Nº 570

MP ALTERA O PRAZO PARA REALIZAÇÃO DE AGO’S E REUNIÃO ANUAL DE SÓCIOS, PERMITE A PARTICIPAÇÃO REMOTA DE SÓCIOS E…

31 de março de 2020 em News Societário

Leia mais >