News Tributário Nº 398

24/08/2017 em News Tributário

Justiça Federal de São Paulo reconhece dedução da PCLD na base de cálculo do PIS e da COFINS

24 de agosto de 2017

Sentença favorável proferida pela Justiça Federal de São Paulo reconhece que as Provisões para Créditos de Liquidação Duvidosa – PCLD são efetivas despesas incorridas nas operações de intermediação financeira, podendo ser excluídas da base de cálculo do PIS e da COFINS das instituições financeiras.

Com base no art. 3º, § 6º, I, a, da Lei nº 9.718/98, que autoriza os “bancos comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, empresas de arrendamento mercantil e cooperativas de crédito” a excluírem da base de cálculo das contribuições “despesas incorridas nas operações de intermediação financeira”, o Juízo da 5ª Vara da Justiça Federal de São Paulo asseverou que a “PCLD implica na destinação real de capital para a salvaguarda das negociações frustradas, não se tratando de mera projeção ou ficção contábil.”

Ressalta ainda que “já está assentado o fato do BACEN considerar a PCLD como uma despesa relativa à atividade de intermediação financeira, enquanto a Receita Federal entende que para fins tributários não se poderia considerar a rubrica como despesa efetiva, logo, não seria passível de dedução.” para concluir que “(…) para fins de obrigar-se a PCLD é uma despesa, mas para fins de dedução, não o é, ou seja, o contribuinte é colocado não apenas em estado de dúvida e perplexidade, mas igualmente de vítima de uma injustiça, sendo atribuídos sentidos diversos aos mesmos fenômenos sempre em seu desfavor e sempre de forma a gerar mais deveres perante o Estado.”

Conforme reconhecido na referida sentença, foi possibilitado que as instituições financeiras participantes da demanda efetuem o recolhimento do PIS e da COFINS deduzindo as despesas com a PCLD, garantindo, inclusive, a restituição dos valores indevidamente recolhidos nos últimos 5 anos.

A equipe do contencioso tributário do Velloza Advogados, que patrocina a referida demanda, encontra-se à disposição para fornecimento de maiores detalhes acerca da discussão.

Equipe responsável – Contencioso Tributário

 

 

ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).

VER TAMBÉM

News Especial Nº 461

Aspectos Relevantes da Lei Brasileira de Proteção de Dados (LBPD) 21 de agosto de 2018 No último dia 14 de…

21 de agosto de 2018 em Legislação

Leia mais >

News Tributário Nº 460

DITR 2018 17 de agosto de 2018 A Receita Federal do Brasil publicou em 31 de julho de 2018, a…

17 de agosto de 2018 em News Tributário

Leia mais >