Velloza Ata de Julgamento

21/09/2018 em Velloza Ata de Julgamento

RESP 1725845 / RS – FAZENDA NACIONAL X CARBONÍFERA CATARINENSE LTDA EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL – Relator Min. Herman Benjamin
Tese: Possibilidade de utilização do depósito judicial para quitação do débito principal e de prejuízo fiscal para saldar os juros não anistiados
Nesta quinta-feira, a 2ª Turma do STJ retomou o julgamento Resp 1725845/RS, o qual discute se, no âmbito de uma das reaberturas do programa especial de pagamento criado pela Lei nº 11.941/2009, haveria a possibilidade de utilização do depósito judicial para quitação do principal do débito e de prejuízo fiscal para saldar os juros não anistiados, conforme divulgado no Velloza em Pauta do dia 02/05/2018 e, por unanimidade, reformou parcialmente o acórdão proferido pelo TRF4 por entender que a ordem para transferência de crédito reconhecido administrativamente para conta judicial somente poderia ser equiparado a penhora de direito a crédito e não a depósito judicial voluntariamente realizado pelo sujeito passivo, o qual não pode ser objeto de compensação , tendo em vista expressa vedação legal contida no artigo  74, §4º, IV, da Lei 9.430/1996.
Entretanto, nada obstante ao referido diferencial do caso concreto, foi ressalvada a manutenção do posicionamento da Corte quanto à possibilidade de liquidação da parcela dos juros de mora do débito inserido no programa com prejuízos fiscais e da bases de cálculo negativas da CSLL, anteriormente à conversão de depósito judicial em renda da União.
Conforme divulgado no Velloza em Pauta – Ed. Setembro, a expectativa era que o acórdão recorrido fosse mantido integralmente, considerando a jurisprudência dominante da Corte Superior, que admite a utilização concomitante de depósito judicial e prejuízo fiscal para quitação do débito, após as reduções da anistia (REsp 1538995/RJ, Rel. Ministro OG FERNANDES, SEGUNDA TURMA, julgado em 13/12/2016, DJe 19/12/2016). Todavia, a Turma se posicionou de forma contrária e trouxe novas perspectivas ao analisar a tese.


RESP 1759966 / SP – PORTO SEGURO COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS  X FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO – Relator Min. Herman Benjamin
Tese: Responsabilidade tributária pelo pagamento do IPVA relativo ao período posterior à alienação, mas anterior à comunicação da venda do veículo ao órgão de trânsito
Era grande a expectativa de que o Superior Tribunal de Justiça apreciasse a questão acerca da responsabilidade solidária prevista no art. 134 do CTB, conforme divulgado no Velloza em Pauta – Ed. Setembro, entretanto, o tribunal não conheceu do recurso especial deixando de analisar, assim, o mérito da questão, tendo em vista o óbice a súmula 280/STF, uma vez que a análise da controvérsia demandaria exame de legislação local – Lei Estadual/SP nº 13.296/2008 – adotada como fundamento de decidir pelo Tribunal de origem.
Apenas por complementação, o Relator observou que do artigo 134 do CTB não se extrai a conclusão de que inexiste responsabilidade tributária, até mesmo porque o Código de Trânsito não a disciplina, mas também não afasta o exercício da competência tributária pelo ente estatal.
Por fim, a Turma consignou que a Corte possui jurisprudência que admite a fixação de responsabilidade solidária, em relação aos tributos estaduais, em caso de previsão na legislação específica citando como exemplo o Resp 1.688.650/SP, Rel. Min. Herman Benjamin, DJe 10.10.2017; REsp 1.640.978/SP, Rel. Min. Gurgel de Faria, DJe 12.05.2017.

­

­

VELLOZA ATA DE JULGAMENTO É UM INFORMATIVO DE JURISPRUDÊNCIA QUE SELECIONA CASOS RELEVANTES EM PAUTA NOS TRIBUNAIS, CONFORME INFORMAÇÕES PUBLICADAS PELAS PRÓPRIAS CORTES. AS INFORMAÇÕES SÃO PÚBLICAS E PODEM OU NÃO SE REFERIR A PROCESSOS PATROCINADOS PELO VELLOZA ADVOGADOS.
ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).
Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Direito Digital e Proteção de Dados Nº 647

ANPD divulga orientação ao mercado sobre como notificar vazamentos de dados pessoais A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD)…

News Tributário Nº 646

Da possibilidade de dedutibilidade das multas fiscais Apesar de haver entendimento da Receita Federal de que multas não tributárias, aplicadas…

23 de fevereiro de 2021 em News Tributário

Leia mais >