STJ

17/12/2018 em STJ

RESP 1760152/RJ – IVC IMPORTACAO INDUSTRIA E COMERCIO DE VEICULOS S/A x FAZENDA NACIONAL – Relator Min. Herman Benjamin
Tese: Possibilidade de se reconhecer a formação de grupo econômico ou sucessão empresarial sem prévio contraditório
A 2ª Turma retomou, nesta quinta-feira, o julgamento do Resp nº 1760152 com o voto vista apresentado pelo Ministro Og Fernandes, no sentido de acompanhar o Ministro Relator Herman Benjamin não conhecendo do Recurso Especial interposto pelo contribuinte, por óbice a Súmula 7/STJ, conforme divulgamos no Velloza Ata – 05/10.
Desta forma, foi mantido pela Turma o acórdão do TRF2 que, ao apreciar a questão atinente à caracterização do grupo econômico e inclusão das empresas recorrentes no polo passivo da execução fiscal, afirmou que os dados apresentados pela Fazenda Nacional sugerem que a empresa executada foi encerrada ilegalmente, e que há indícios de caracterização de grupo econômico com as demais empresas executadas, revelando fraude contra o fisco.
Verifica-se que o acórdão do tribunal de origem pautou-se em determinadas premissas fáticas, de modo que rever o entendimento adotado implicaria em reexaminar o conjunto fático probatório, medida vedada pelo óbice previsto no enunciado da Súmula 7/STJ.

­

Clique e confira a íntegra do informativo: Velloza Ata de Julgamento

Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Direito Digital e Proteção de Dados Nº 647

ANPD divulga orientação ao mercado sobre como notificar vazamentos de dados pessoais A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD)…

News Tributário Nº 646

Da possibilidade de dedutibilidade das multas fiscais Apesar de haver entendimento da Receita Federal de que multas não tributárias, aplicadas…

23 de fevereiro de 2021 em News Tributário

Leia mais >