Proposta de “fim do ágio” poderá gerar novas discussões judiciais

12/07/2021 em Imprensa

Nossas sócias Elisa da Costa Henriques e Fernanda Junqueira Calazans falaram ao Valor Econômico sobre o trecho da proposta de reforma do Imposto de Renda que prevê acabar com a possibilidade de amortização do ágio – valor pago pela expectativa de rentabilidade futura da empresa que está sendo adquirida.

Pela regra atual, o ágio fica registrado como despesa no balanço e pode ser amortizado em um prazo de cinco anos. A amortização reduz o valor a pagar de IRPJ e CSLL.

Nossas sócias apontam que o fim da possibilidade de amortização do ágio pode gerar uma discussão sobre a tributação de patrimônio e não renda. Para elas, desconsiderar a parcela referente ao ágio do custo de aquisição e, consequentemente, na forma de tributação pode ser algo confiscatório.

Leia a matéria: https://lnkd.in/d3G8tbg

Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Tributário Nº 691 – Complemento

Barroso afasta a incidência de IRPJ/CSLL sobre a SELIC recebida na repetição de indébito tributário, mas propõe modulação Prosseguindo no…

21 de setembro de 2021 em News Tributário

Leia mais >

News Tributário Nº 691

STF: 4 votos pela impossibilidade de incidência de IRPJ/CSLL sobre a Taxa Selic recebida na repetição de indébito tributário O…

21 de setembro de 2021 em News Tributário

Leia mais >