Estágio profissional muda e preocupa

2/10/2008 em Imprensa

Fonte: Tribuna do Direito

Entrevista com Dr. José Carlos Mota Vergueiro, Sócio V&G.

O Projeto de Lei 2.419/07, do Senado, que regulamenta o estágio profissional que foi sancionado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, como Lei nº 11. 788, e com vigência a partir de 26 de setembro, já causa polêmica no meio jurídico. Entre as principais mudanças estão a redução da carga horária para seis horas diárias, no máximo, e 30 semanais, exceto para alunos da educação especial, e a determinação de que o estágio não poderá durar mais de dois anos.Segundo o advogado José Carlos Mota Vergueiro, do Velloza, Girotto e Lindenbojm Advogados Associados, “a preocupação é que a lei reduza o salário do estagiário e que muitos escritórios passem a contratar apenas estudantes que estejam no quarto ano”. Admite, também, que a lei possa reduzir o número de vagas para estagiários “por aumentar o custo das empresas e as obrigações trabalhistas”. Por outro lado, diz que “a iniciativa protege os estudantes do abuso de mão-de-obra, já que ainda existem escritórios que fazem do estagiário um office-boy de luxo”.

Na “Lei do Estágio” prevê direito a férias proporcionais remuneradas, que deverão ser concedidas sempre que o estágio tiver duração igual ou superior a um ano e preferencialmente durante as férias escolares. Prevê, ainda, auxílio-transporte, que deverá ser compulsório e concedido juntamente com a bolsa ou outro tipo de contraprestação trabalhista.

Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Direito Digital e Proteção de Dados Nº 647

ANPD divulga orientação ao mercado sobre como notificar vazamentos de dados pessoais A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD)…

News Tributário Nº 646

Da possibilidade de dedutibilidade das multas fiscais Apesar de haver entendimento da Receita Federal de que multas não tributárias, aplicadas…

23 de fevereiro de 2021 em News Tributário

Leia mais >