V&G News Nº 223

24/10/2013 em Sem categoria

Julgamentos importantes da Primeira Seção do STJ

24 de outubro de 2013

REsp nº 1230957

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça, na sessão realizada em 23/10/2013, deu continuidade ao julgamento do recurso representativo da controvérsia nº 1230957, interposto pela empresa  HIDRO JET EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA e pela FAZENDA NACIONAL, o qual foi iniciado no dia 06/02/13.
Naquela oportunidade o Ministro Mauro Campbell, relator, proferiu voto no sentido de afastar a contribuição previdenciária sobre terço constitucional de férias gozadas, aviso prévio indenizado e auxílio doença pago nos primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador, decidindo, contudo, pela incidência da contribuição sobre o salário maternidade e paternidade, alegando que são remunerações pagas aos funcionários no período de afastamento.

Na sessão de julgamento do dia 23/10/2013, a questão foi retomada com o voto vista do Ministro Napoleão Nunes, que houve por bem acompanhar o Ministro Relator quanto à não incidência da Contribuição Previdenciária sobre  terço constitucional de férias gozadas, aviso prévio indenizado e auxílio doença pago nos primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador, divergindo, contudo quanto à incidência da referida contribuição sobre o Salário Maternidade e Salário Paternidade. Assim, o Ministro Napoleão deu provimento integral ao recurso do contribuinte para afastar a incidência da contribuição previdenciária sobre todas as verba acima.

Na sequencia, o Ministro Arnaldo Esteves retificou seu voto para acompanhar o relator quanto à não incidência da contribuição previdenciária sobre terço constitucional de férias gozadas, aviso prévio indenizado e auxílio doença pago nos primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador.

O julgamento do recurso repetitivo foi interrompido por pedido de vista do Ministro Herman Benjamim que, não obstante já ter proferido voto oral, propugnou pela necessidade de avaliar melhor a situação.

Ressalta-se que parte das verbas discutidas no Recurso Especial nº 1230957, quais sejam, 1/3 Constitucional de Férias Gozadas, Salário Maternidade e Salário Paternidade , também foram objeto do Recurso Especial nº 1322945, interposto por GLOBEX UTILIDADES S/A, oportunidade em que a 1ª seção propugnou pela não incidência da contribuição previdenciária sobre as mesmas, em parcial dissonância com o resultado parcial do Recurso Repetitivo.

Por tal razão a Fazenda Nacional opôs Embargos de Declaração e requereu a suspensão dos efeitos do acórdão referente ao REsp 1322945 (Globex), o que foi deferido pelo Ministro Napoleão Nunes.

Verbas discutidas e resultado parcial

Terço constitucional de férias gozadas:  4 votos pela não incidência (MC, HM, NN e AE) e 2 votos pela incidência (HB e BG).
Terço constitucional de férias indenizadas: 6 votos pela não incidência.
Aviso prévio indenizado: 6 votos pela não incidência.
Auxílio-doença pago nos primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador: 4 votos pela não incidência (MC, HM, NN e AE) e 2 votos pela incidência (HB e BG).
Salário maternidade: 5 votos pela incidência e 1 pela não incidência.
Licença paternidade: 5 votos pela incidência e 1 pela não incidência.

ED no REsp 1138695

Na mesma sessão de julgamento, a Primeira Seção rejeitou, por maioria, vencido o Ministro Napoleão Nunes, os Embargos de Declaração opostos pela Cia Hering nos autos do Resp Repetitivo nº 1138695 o qual discute a não incidência do IRPJ e da CSLL sobre juros remuneratórios decorrentes da devolução de depósitos judiciais na forma da Lei nº 9.703/98 e os juros moratórios decorrentes da repetição de indébito tributário prevista no artigo 67, parágrafo único, do CTN.

Quando do julgamento do Recurso Especial em 22/05/2013, a Primeira Seção, por unanimidade, deu parcial provimento ao Recurso Especial , aplicando o entendimento já pacificado pelo Tribunal de que os juros incidentes na devolução de depósitos judiciais possuem natureza remuneratória e, desse modo, assim como a Correção Monetária se houver, estão sujeitos à tributação do IR e da CSLL, já que representam um acréscimo patrimonial ao contribuinte.

No julgamento dos aclaratórios o relator Mauro Campbell entendeu que a intenção da Embargante era o rejulgamento do feito, no que foi acompanhado pelos demais Ministros com exceção do Napoleão Nunes, que votou pelo acolhimento dos Embargos com a abertura de prazo para o contraditório da União e posterior rediscussão da matéria.

ED no REsp 1060210

Por fim, a Primeira Seção iniciou o julgamento dos Embargos de Declaração opostos pelo Município de Tubarão em face do acórdão que deu parcial provimento ao Recurso Especial Repetitivo 1060210, o qual discute, em síntese, incidência de ISS sobre operações de arrendamento mercantil ou leasing, sobressaindo-se duas questões basilares: a) a definição da base de cálculo do tributo; b) o sujeito ativo da presente relação jurídico-tributária.

Quando do julgamento do Recurso Especial, a Seção concluiu que o local da prestação do serviço, em regra, é o local do estabelecimento prestador ou, na falta de estabelecimento, o domicílio do prestador.

O Ministro Napoleão Nunes, Relator do referido recurso, rejeitou os Embargos de Declaração por entender que não há vícios no acórdão, possuindo tal recurso efeitos infringentes.

O julgamento foi interrompido pelo pedido de vista da Ministra Eliana Calmon pediu vista dos autos.

ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS SOBRE AS MATÉRIAS AQUI VEICULADAS DEVERÃO SER DIRIGIDAS AO V&G.

VER TAMBÉM

News Tributário Nº 453

Justiça Federal de São Paulo reconhece que empresas de leasing podem excluir as receitas financeiras da base de cálculo do…

12 de julho de 2018 em News Tributário

Leia mais >

News Especial Nº 452

Projeto de Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais é aprovado pelo Senado Federal 11 de julho de 2018 Foi…

11 de julho de 2018 em Legislação

Leia mais >