V&G News Legal e Bancário Nº 279

20/03/2015 em News Bancário

A hora e a vez do Compliance

20 de março de 2015

O Poder Executivo Federal, através do Decreto 8.420/15 publicado em 18 de março de 2015 “Decreto”, regulamentou a Lei Brasileira Anticorrupção (Lei 12.846/13). A “Lei da Empresa Limpa” tem como escopo responsabilizar civil e administrativamente as pessoas jurídicas envolvidas pela prática de atos lesivos contra a administração pública nacional ou estrangeira. Entre outras disposições e sanções, a lei impõe multa pecuniária que pode variar entre 0,1% e 20% do faturamento bruto do ano anterior da empresa infratora, bem como ressalta a importância da existência de um programa de integridade/compliance efetivo como (i) forma de combate a atos lesivos à administração pública; e (ii) atenuante das possíveis sanções.

O Decreto, por sua vez, traz de forma detalhada os parâmetros para o cálculo da aplicação das multas decorrentes da lei. Vale mencionar que o Decreto descreve, inclusive, fatores agravantes e atenuantes da conduta e relaciona-os diretamente aos percentuais do faturamento bruto que constroem o valor da multa. Entre tais fatores, o atenuante de maior significância econômica (redução da multa em 1% a 4% do faturamento bruto) é justamente o da aplicação de um programa de integridade/compliance efetivo. Neste aspecto, o Decreto traz, em seu Capítulo IV, os parâmetros que serão levados em consideração para a avaliação de tais programas, entre eles: o suporte irrestrito da alta administração da companhia, a existência de padrões e políticas de ética e conduta, canais de denúncia, treinamentos periódicos, controles internos, programas de investigação e, sobretudo, monitoramento constante capaz de comprovar a efetividade do programa.

Em linha com o que já previa a Lei, o Decreto traz importantes disposições em relação à necessidade de vigilância de terceiros contratados, exigindo que os controles de integridade tenham em seu escopo políticas de supervisão e monitoramento de tais terceiros. Este tipo de diligência em contratações não é uma novidade para empresas sujeitas ao FCPA (Foreign Corrupt Practices Act) e ao UKBA (UK Bribery Act), respectivamente lei norte-americana e britânica de combate à corrupção, como as empresas multinacionais. No entanto, para as pessoas jurídicas que sujeitam-se apenas a Lei da Empresa Limpa, o Decreto demarca a necessidade de políticas e controles aplicáveis a contratações, que traduzem-se em procedimentos como a condução de due diligence prévia e periódica, análises transacionais e elaboração de novas cláusulas em contratos já firmados e futuros relacionadas ao combate à corrupção e auditoria. Vale mencionar que o Decreto dispensa a exigência deste tipo de controle de prestadores de serviço (entre outras dispensas) para microempresas e empresas de pequeno porte.

Finalmente, o Decreto também traz disposições sobre (i) as competências e o rito do Processo Administrativo de Responsabilização (PAR), que poderá apurar em seus autos não só as infrações à Lei da Empresa Limpa mas também as infrações à Lei de Licitações (Lei 8.666/1993); (ii) os cadastros nacionais de Empresas Punidas (CNEP) e de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS), que reunirão, respectivamente, as empresas punidas pela Lei 12.846/13 e as empresas que sofreram sanções administrativas de restrição ao direito de participar de licitações ou celebrar contratos públicos; e (iii) a sistemática do acordo de leniência; dentre outras novidades.

Este é o primeiro informativo do ano de 2015 elaborado pela equipe de Compliance, Ética Corporativa e Governança do Velloza & Girotto Advogados Associados. Nos próximos informativos, traremos maiores detalhes sobre cada um dos pilares efetivos de um programa de integridade/compliance robusto, bem como formas de endereçar os principais desafios encontrados na área.

 

Equipe Responsável:

Rubens Velloza
(11) 3145-0070
rubens.velloza@vellozaegirotto.com.br

 Guilherme Fernandes Cooke
(11) 3145-0099
guilherme.cooke@vellozaegirotto.com.br

 

ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).

VER TAMBÉM

News Especial Nº 461

Aspectos Relevantes da Lei Brasileira de Proteção de Dados (LBPD) 21 de agosto de 2018 No último dia 14 de…

21 de agosto de 2018 em Legislação

Leia mais >

News Tributário Nº 460

DITR 2018 17 de agosto de 2018 A Receita Federal do Brasil publicou em 31 de julho de 2018, a…

17 de agosto de 2018 em News Tributário

Leia mais >