V&G News N° 248

13/10/2014 em News Tributário

Decreto nº 8.325/2014: Alterações no Regulamento do IOF

13 de outubro de 2014

Foi publicado no Diário Oficial da União (“DOU”) do dia 08.10.2014 o Decreto nº 8.325, de 07.10.2014 (“Decreto nº 8.325/2014”), que (i) alterou os artigos 8º e 32 do Decreto nº 6.306, de 14.12.2007 (“Decreto nº 6.306/2007”), que regulamenta o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários  (“Regulamento do IOF” – “RIOF”), e (ii) substituiu o artigo 15-A pelo artigo 15-B, nos seguintes termos:

  • IOF/Crédito” (Artigo 8º do RIOF)
  • Alíquota do IOF/Crédito éreduzida a zeronas operações de crédito:

(a) efetuadas por agentes financeiras da Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP, com recursos dessa empresa pública; e

(b) destinadas ao financiamento de projetos de infraestrutura de logística direcionados a obras de rodovias e ferrovias objeto de concessão pelo Governo Federal, nos termos do artigo 6º, §3º da Lei nº 12.973, de 02.04.2013.

  • IOF/Câmbio” (Atual Artigo 15-B do RIOF)
  • Revogação do artigo 15-A esubstituiçãopelo artigo 15-B com manutenção de boa parte das situações abarcadas pelo dispositivo revogado, com exceção das seguintes alterações:

(a) alíquota do IOF/Câmbio de 6,38% (seis inteiros e trinta e oito centésimos por cento) foi estendida também para as operações de câmbio destinadas ao cumprimento de obrigações de administradoras de cartão de débito decorrentes de aquisição de bens e serviços de exterior efetuada por seus usuários.

(b) alíquota do IOF/Câmbio é reduzida a zero também na hipótese de operações de câmbio destinadas ao cumprimento de obrigações de administradoras de cartão dedébito decorrentes de aquisição de bens e serviços do exterior quando forem usuários do cartão a União, Estados, Municípios, Distrito Federal, suas fundações e autarquias.

  • como, desde 04.06.2013, todas as aplicações nos mercados financeiro e de capitais estão sujeitas a alíquota zero, o artigo 15-B excluiu os dispositivos que continham previsão de alíquota zero para operações específicas ocorridas no mercado financeiro e de capitais e manteve somente as redações genéricas a respeito do tema (ingresso e retorno dos recursos).
  • revogação de disposição que concedia alíquota zero para liquidações de operações de cambio simultâneas na conversão de investimento direto em investimento no mercado financeiro e de capitais
    A disposição que concedia alíquota zero para a liquidação de operação de câmbio simultânea com tal finalidade se aplicava apenas paraingresso de recursos, de modo que as operações de câmbio simbólico para retorno dos recursos/liquidação do investimento direto sempre estiveram sujeitas à alíquota genérica de 0,38% (trinta e oito centésimos por cento). Assim, a revogação pelo Decreto nº 8.352/2014 desta disposição específica em nada mudou a tributação destas operações, uma vez que o novo dispositivo manteve a previsão genérica/regra geral de alíquota zero nos ingressos decorrentes de operações de cambio simultâneas, bem como para os ingressos para investimento nos mercados financeiro e de capitais.
  • ingressode recursos através de cancelamento de Depositary Recepeits para investimento em ações negociadas em bolsa de valores
    Manteve-se a redação do revogado inciso XVII do Artigo 15-A que concedia alíquota zero para a liquidação de operação de câmbio simultânea de ingresso de recursos com tal finalidade, muito embora referida situação já esteja abarcada pela regra geral das operações simultâneas de câmbio e das aplicações financeiras nos mercados financeiro e de capitais.
  • Operações simultâneas de câmbio e os ingressos a título de operações de “empréstimo externo de curto prazo”
    Em que pese à nova redação do inciso referente às operações simultâneas de câmbio (inciso XVIII do Artigo 15-B) não mais expressamente excetuar as operações de empréstimo externo de curto prazo (como ocorria anteriormente), da leitura do inciso específico dessas operações é possível observar que a alíquota de 6% (seis por cento) se aplica a todos os ingressos a titulo de empréstimos externo de curto prazo, ainda que referido ingresso ocorra por meio de uma operação simultânea de câmbio, de modo que a exceção expressa constante do revogado inciso XIX do artigo 15-A não se fazia necessária, na medida em que o dispositivo específico já traz essa explicação. Desta forma, quaisquer ingressos a título de empréstimo externo de curto prazo, ainda que por meio de operações simultâneas de câmbio,continuam sujeitas à alíquota de 6% (seis por cento). 
  • IOF/TVM
  • Alíquota do IOF/TVM é reduzida azeronas operações de negociação de cotas de Fundos de Índice de Renda Fixa em bolsas de valores ou mercado de balcão organizado. 

Com isso, ficam revogados: o Artigo 8º, inciso XII e o Artigo 15-A do Decreto nº 6.306/2007, o Artigo 1º do Decreto nº 7.412, de 30.12.2010, os Artigos 1º dos Decretos 7.536, de 26.07.2011; 7.632, de 01.12.2011 e nº 7.683, de 29.02.2012, na parte em que alteram o Artigo 15-A do Decreto nº 6.306/2007 bem como os Decretos 6.453, de 12.05.2008; 7.454, de 25.03.2011; 7.456, de 28.03.2011; 7.457, de 06.04.2011; 7.698, de 09.03.2012; 7.751, de 13.06.2012; 7.853, de 04.12.2012; 7.894, de 30.01.2013; 8.023, de 04.06.2013; e 8.175, de 27.12.2013.

A alteração promovida pelo Decreto nº 8.325/2014 entra em vigor na data de sua publicação (i.e., 08.10.2014).

ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS SOBRE AS MATÉRIAS AQUI VEICULADAS DEVERÃO SER DIRIGIDAS AO V&G.

 

VER TAMBÉM

News Tributário Nº 453

Justiça Federal de São Paulo reconhece que empresas de leasing podem excluir as receitas financeiras da base de cálculo do…

12 de julho de 2018 em News Tributário

Leia mais >

News Especial Nº 452

Projeto de Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais é aprovado pelo Senado Federal 11 de julho de 2018 Foi…

11 de julho de 2018 em Legislação

Leia mais >