Velloza Ata de Julgamento

24/08/2018 em Velloza Ata de Julgamento

RESP 1431112/RS – AES SUL DISTRIBUIDORA GAÚCHA DE ENERGIA S/A x FAZENDA NACIONAL – Relator Min. Sergio Kukina
Tese: Não incidência de IRPJ e CSL sobre juros moratórios contratuais incidentes sobre pagamento recebido em atraso, ante sua natureza indenizatória, de recomposição de patrimônio do credor.
A 1ª Turma do STJ retomou nesta quarta-feira, dia 24/08, o julgamento do Resp 1431112, conforme divulgado do Velloza em Pauta – Edição Agosto, com o voto-vista da Ministra Regina Helena, em que restou acolhida, por unanimidade, questão de ordem por ela levantada para determinar o sobrestamento do feito até o julgamento do RE 1063187, com remessa ao Tribunal de origem que efetuará o juízo de conformidade.
A Ministra Regina Helena apresentou a referida questão de ordem para que seja sobrestado o feito até o julgamento do RE 1063187, na qual foi reconhecida a repercussão geral no tema 962 que versa sobre a Incidência do Imposto de renda – Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) sobre a taxa Selic (juros de mora e correção monetária) recebida pelo contribuinte na repetição do indébito.
Desta forma, mesmo a identidade não sendo absoluta, tendo base fática diversa (caso concreto versa sobre cobrança de energia elétrica), os ministros da 1ª Turma concordaram que não há como analisar o caso em tela sem o resultado do julgamento do referido Recurso Extraordinário no Supremo Tribunal Federal e, por esta razão, acolheram a questão de ordem apresentada pela Ministra, para determinar o sobrestamento do feito e a remessa ao tribunal de origem que efetuará o juízo de conformidade.
Relembre-se que o Ministro Relator Sérgio Kukina havia apresentado seu voto sobre o tema em 22/05/2018 negando provimento ao recurso especial interposto pelo contribuinte, por entender que os juros ora trazidos na controvérsia assumem a natureza de acréscimo patrimonial e, portanto, compõem a base de incidência tanto do imposto de renda quanto da contribuição sobre o lucro líquido, mantendo, assim, o acórdão proferido pelo TRF4.

 

­

VELLOZA ATA DE JULGAMENTO É UM INFORMATIVO DE JURISPRUDÊNCIA QUE SELECIONA CASOS RELEVANTES EM PAUTA NOS TRIBUNAIS, CONFORME INFORMAÇÕES PUBLICADAS PELAS PRÓPRIAS CORTES. AS INFORMAÇÕES SÃO PÚBLICAS E PODEM OU NÃO SE REFERIR A PROCESSOS PATROCINADOS PELO VELLOZA ADVOGADOS.
ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).
Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Societário Nº 568

GOVERNO REGULAMENTA PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA DE STARTUPS DE FORMA SIMPLIFICADA Em abril de 2019, por meio da Lei Complementar nº…

27 de março de 2020 em News Societário

Leia mais >

News Mercado de Capitais Nº 567

CVM prorroga prazos regulatórios e suspende restrições em função da pandemia do COVID-19 Em razão do agravamento dos impactos econômicos…

26 de março de 2020 em News Mercado de Capitais

Leia mais >