News Tributário Nº 539

21/10/2019 em News Tributário

Prefeitura de São Paulo sanciona Lei de Anistia para imóveis residenciais e comerciais que se encontram em situação irregular

Lei de Regularização de Edificações – Lei nº 17.202/2019


• Objetivo:

Tem como objetivo a regularização de edificações construídas até 31 de julho de 2014 que tenham passado por alterações e não tinham alvará de obras ou encontram-se em situação irregular por mudanças que tenham ocorrido nos últimos anos na legislação.

­

• Modalidades:

Foram previstas 03 (três) modalidades de regularização, quais sejam:

(i) Automática: se destina às residências com valor venal até 160 mil reais e que em 2014 contavam com isenção total na notificação de IPTU. Dispensa solicitação de regularização à Prefeitura, pois ela ocorrerá automaticamente;

(ii) Declaratória: se destina aos imóveis com área total de construção de até 1.500 m2, englobando: imóveis residenciais verticais e horizontais (com até 10 metros de altura e no máximo 20 unidades); imóveis destinados à Habitação de Interesse Social (HIS) e Habitação de Mercado Popular (HMP) da Administração Pública Direta e Indireta; imóveis de uso misto; e locais de culto; e

(iii) Comum: se destina às demais edificações não enquadradas nas categorias anteriores com área construída acima de 1.500 m2. Contudo, a regularização dependerá da apresentação de documentos assinados por profissional habilitado e da análise da Prefeitura.

­

• Como proceder:

Com exceção da modalidade automática, as demais serão realizadas por meio eletrônico. Os interessados deverão protocolar o formulário de regularização e os documentos solicitados, devidamente assinados por responsável técnico, junto ao Portal de Licenciamento da Prefeitura de São Paulo (https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/licenciamento/)

­

• Taxas:

Nas modalidades “Declaratória” e “Comum”, além do pagamento da taxa específica para regularização no valor de R$10,00 (dez reais) por metro quadrado, nos casos em que a construção tenha ultrapassado o potencial construtivo autorizado pela Prefeitura, haverá um acréscimo de 20% sobre o valor da outorga onerosa (contrapartida financeira paga por construções acima da metragem básica permitida para o lote).

­

• Impedimentos à Regularização:

 Não poderão se aproveitar da regularização imóveis situados em logradouros ou terrenos públicos; loteamentos irregulares; construções junto à represas, lagos, córregos, áreas de preservação ambiental, galerias e linhas de energia de alta tensão; perímetro de Operações Urbanas e edificações que ultrapassem o limite máximo de construção previsto na antiga Lei de Zoneamento (Lei nº 13.885/04).

­

• Prazo:

O prazo para protocolo dos processos de regularização será de 90 dias, contados a partir do dia 1º de janeiro de 2020. Este prazo poderá ser prorrogados por mais três períodos iguais, à critério da Prefeitura de São Paulo.
­
­

­

ESTE BOLETIM É MERAMENTE INFORMATIVO E RESTRITO AOS NOSSOS CLIENTES E COLABORADORES. FICAMOS À DISPOSIÇÃO PARA EVENTUAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE A(S) MATÉRIA(S) AQUI VEICULADA(S).
Velloza Advogados |

VER TAMBÉM

News Tributário Nº 619

Lei do Estado de São Paulo revoga benefício do IPVA para locadoras de veículos No último dia 15 de outubro…

23 de outubro de 2020 em News Tributário

Leia mais >

News CARF

Acórdãos CARF em Destaque ­ Nesta edição, destacamos acórdãos do CARF publicados até 09/2020 acerca de temas relevantes, organizados por…

15 de outubro de 2020 em News CARF

Leia mais >